Série Temática do Mangathering #2 – As obras favoritas [4/4 – Luki – Desventuras em Série]

 


“Please read something else.”

Aviso. Esse é um post fanboy. Mesmo. Não espere uma análise técnica, isso é uma exaltação da obra.

Desventuras em Série é uma obra especial pra mim. Nem eu sei direito porque, vou ver se consigo entender melhor escrevendo isso. Mas tenho a impressão que, 2011 (entre outras coisas, claro) vai ser “o ano que eu li Desventuras em Série”.

Sem dúvidas, eu sou fanboy DEMAIS de Desventuras em Série, e sou bem chato com isso. Não vou negar, e sinto muito. (Mas estou um pouco melhor agora, já que a euforia por ter acabado passou há algum tempo)

Eu comecei a ler a série porque eu tinha gostado bastante do filme, e eu tinha visto o livro um dia passeando pela Saraiva, e achei muito legal. Aí um dia eu comprei o primeiro livro e adorei. Mas nada como ainda seria. Acabei deixando pra lá por um tempo, porque nossa, como os livros são caros! Fico indignado com isso.

Depois de um tempo, descobri que uma amiga minha tinha toda a série. E eu comecei a ler pra valer, pegando emprestado… e me apaixonei.

A obra de Daniel Handler, que assina como Lemony Snicket, conta a história de três orfãos, que são Violet Baudelaire, de 14 anos, que tem uma grande capacidade pra inventar coisas, Klaus Baudelaire, de 12, que adora ler e consegue lembrar de praticamente tudo que leu, e Sunny Baudelaire, que é um bebê que… adora morder coisas. Um dia, eles descobrem que perderam os pais em um incêndio acidental (ou será que…?), e tem que passar a viver com diversos tutores, o primeiro deles sendo o perverso Conde Olaf, que quer por as mãos na herança dos pais deles. Os primeiros livros meio que introduzem a situação, sem grandes avanços na história, cada livro mostrando eles com um tutor diferente, e tendo que fugir do Conde Olaf… depois a trama começa a se envolver em diversos mistérios, evoluindo cada vez mais.

Um grande destaque da série, quase a marca registrada dela, é a narrativa que o Lemony usa. Para começar, em todo livro, seja nas primeiras páginas ou na parte de trás, ele pede aos leitores para largarem o livro, pois é uma leitura muito triste que não vai te fazer bem. Além disso, no decorrer do livro, ele conta os acontecimentos de uma maneira totalmente incomum, explicando o significado de palavras (No começo usado normalmente, depois para efeito cômico), como avisar que “precário”, naquela frase, tem o sentido de “inseguro”. Fora isso, ele para a narrativa frequentemente para comentar um assunto relacionado a situação dos Baudelaire (O que rende citações fantásticas), ou fazer uma comparação com a própria vida dele. Aliás, quase todo capítulo começa com ele comentando a história, mesmo que ele tenha parado em um super cliffhanger.

Eu mencionei efeito cômico anterioremente. Então, os livros são repletos de humor, seja pela falta de sentido de alguns acontecimentos, ou um humor sarcástico com os comentários do Lemony, ou algumas técnicas muito boas que subvertem totalmente a forma normal de se narrar. Por exemplo, em um livro, ele começa um capítulo falando sobre deja vu. Na pagina seguinte, a página é repetida, totalmente igual, em texto, ilustração e formatação! Em outro, ele spoileia os leitores, falando de uma forma totalmente banal que um personagem morre. E tem muuito mais disso no livro.

Desventuras em Série é uma série diferente em muitos fatores. A história é muito menos alegre que o publico alvo e a maneira cômica que o Lemony a narra fazem parecer. O enredo continuamente joga mais complicações para a vida dos orfãos, e faz jus aos avisos do autor. Mesmo que ela não tivesse a narrativa única que tem, acho que ainda continuaria adorando. Nós vemos os Baudelaire crescendo em um mundo caótico, resolvendo mistérios e descobrindo outros a respeito dele, enquanto a história se desenrola com partes dramáticas (ela vai ficando mais séria no final), e com revelações (ou a falta de) que fazem você não querer parar de ler. Eu lia cada livro MUITO rapidamente.

Uma coisa que me agradou demais na série foi a sensação que ela me causava. De que aquela história era real, que isso realmente estava acontecendo, e nós só sabíamos uma parte minúscula da história, a que nos foi conveniente contar. Que não era uma história fictícia, com os acontecimentos planejados por um escritor. O Lemony ser um personagem da própria série que escreveu é genial também. Sim, os livros existem no universo em que a história se passa, o escritor existe e é importante para a história. Eu achei incrível.

Foi a obra que mais me marcou, de todas que eu li. Minha vontade de escrever aumentou muito depois que eu li isso… Se algum dia eu virar escritor (lol), podem ter certeza que o Daniel Handler foi minha inspiração.

Acho até que as coisas que podem ser consideradas defeitos da série fazem parte do charme dela. A inutilidade dos adultos, a sequencia de coisas horriveis acontecendo para os Baudelaire, ela deixar de revelar quase todos os mistérios do livro…. Acho que é tudo parte da ideia que o escritor quis passar, e a série não seria a mesma sem esses fatores.

O final mereceria um post só pra ele, mas é um dos melhores finais que eu já vi pra uma série, se não for o melhor. Não tinha jeito melhor de terminar essa obra do que o que foi feito. E quando eu fechei o último livro, eu percebi. Ter lido isso foi uma experiência que eu provavelmente não esquecerei tão cedo em minha vida. A história dos Baudelaire chegou ao fim. Com um último livro tão perfeito quanto poderia ser. Por isso tudo, Desventuras em Série é minha obra fictícia favorita. E o 13º, o “The End”, provavelmente é meu livro favorito. Nada mais a dizer. Só que eu estou muito grato de relatar – ou tentar, ao menos – como foi ler DeS.

PS: Outubro vai ter uma nova série do cara sendo lançada. CHEGUE LOGO!

PS²: Para uma review mais técnica, leiam esse post no Radix.

Anúncios

Publicado em março 27, 2012, em Série Temática e marcado como , , , , , , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. 8 Comentários.

  1. Adorei o post! Realmente a série é muito boa, a cada livro que você lê você se apaixona cada vez mais. A união e o esforço dos irmãos Baudelaire é muito bonita. Pena que ainda não terminei de ler todos, parei no 8º livro, O Hospital Hostil. Faz muito tempo que não leio, seu post me incentivou a continuar xD
    Parabéns e continuem assim, adoro o blog, é super completo e interessante :3

    • Obrigado! Eu adoro ver pessoas falando que gostam de DeS, eu acho que a série é muito subestimada, mais pessoas deveriam ler.

      Pô, se você continuar graças ao post, seria ótimo, ficaria muito feliz, XD. E obrigado pelos elogios ao blog! 8D

  2. Então. Oi. Achei seu post, de seu blog, seu, perdido pela internet. É claro que, pesquisando sobre os Baudelaire. A verdade é que assim como você eu sou completamente apaixonada por essa série, pelo Daniel, pelo Lemony, enfim, por todos (especialmente pelo Klaus, digo de passagem)
    Gostei do seu post, resumiu bem, e deu uma enfase na narrativa maravilhosa que esse livro tem, que acredito ser umas das caracteristicas mais marcantes (e que me fez pensar em ler para meus filhos quando eu for mais velha e se vier a te-los).
    A razão de estar comentando é única, já ouviu falar dos livros extras?
    Primeiramente, são bem complicados pra acha pra vender, único jeito mesmo é comprando pela internet (pelo menos pra mim, depois de rodar 6 cidades em busca, foi o único jeito) Eles contam coisas que não estam escritas nos 13 principais, e confesso que, você precisa de tempo pra ler, porque é mais complicado do que parece.
    O primeiro deles é o Lemony Snicket a autobiografia não autorizada (risos) Além desse tem as cartas de Beatrice, o livro vazio, os incompreensiveis quebra-cabeças: irritantes jogos que iram irritar muitas pessoas e as notaveis anotações.
    Digo somente, que vale muito a pena ler todos eles (e reler).
    Status atual: Esperando as perguntas erradas. kk

    XOXO Barbara Galdino.

    • Obrigado pelo comentário! DeS é lindo mesmo ❤

      Eu já li, os dois! Tenho que reler, verdade, porque devem ter informações mais escondidas e tal… Mas li os dois. Até importei o Beatrice Letters!

      Obrigado pela visita e pelos elogios, de novo =D

      • Por nada. Sério mesmo? Por qual site tu conseguiste importar(the beatrice letters)? to tentando a tempos mas até agora só online mesmo. Se puder me passar link agradeço rs.
        Elogios merecidos.

        xoxo
        The world is quiet here.

      • Importei pelo BookDepository. É um site ótimo pra isso, porque o frete é gratis! Procura o livro lá, não foi caro quando comprei…

  3. Enquanto as informaçoes escondida. tambpem pensei a mesma coisa quando o li pela primeira vez, devagar vou encontrando algo kk

  1. Pingback: Desventuras em Série – Lemony Snicket « Calibre Cultural

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: