Arquivos do Blog

Comentando: Bokura no Hikari Club (Do 1º ao 4º capítulo)

bnhc

Pela primeira vez, analisando uma obra à medida que o scanlator lança seus capítulos. O mangá em questão é Bokura no Hikari Club, de Usamaru Furuya, que visa contar como o Hikari Club se tornou aquela coisa horrenda que era em Litchi Hikari Club. Acho que é desnecessário dizer que esse post contém spoilers da franquia Hikari Club como um todo, né?

Primeiramente, eu sei que esse mangá já deve estar completo em inglês e tal, mas eu prefiro ler em espanhol. Portanto, estou aguardando os lançamentos do BloodSei, que é um baita blog se tratando de mangás de horror e suspense, recomendo. Recentemente, eles lançaram o quarto dos dozes capítulos da série, portanto, neste post eu falarei dos quatro primeiros capítulos. Se você pretende ler este post, é recomendado que você já tenha lido pelo menos alguma coisa da linha Hikari Club, mesmo que seja o LHC. Agora, prossigamos.

Leia o resto deste post

#CorrenteDeReviews: [C] – The Money of Soul and Possibility Control

[C] – The Money of Soul and Possibility Control, ou simplesmente [C], é um anime de 2011, dirigido por Kenji Nakamura e exibido no famoso bloco noitaminA, que já exibiu obras bastante renomadas como Honey & Clover e Shiki.

Leia o resto deste post

Recomendação da semana: Prison School

Primeiramente, quero me desculpar por não ter postado este texto ontem; passei boa parte do dia sem internet.

Não sou muito apegado ao ecchi, pois acho que muitas vezes algumas obras acabam não sabendo utilizá-lo de maneira certa, e perdendo-se em meio às próprias histórias. Porém, o mangá que eu recomendarei hoje é ligeiramente diferente. Ele é Prison School, de Hiramoto Akira, em publicação na Young Magazine. Leia o resto deste post

Série Temática do Mangathering #3 – Promessas dos Mangás [3/4 – Danilo – Kurogane]

Kurogane é um manga do polêmico Ikezawa “cutucador de intocáveis” Haruto. O chamo assim por ter atacado algumas das obras mais aclamadas pelo grande público da famosa revista Shonen Jump. De fato, não é qualquer mangaka que vai a público afirmar que tal série já deu o que tinha que dar ou que no lugar de tal colega, conseguiria fazer melhor, sendo tais afirmações verdadeiras ou não. Mas voltando ao que Ikezawa fez e não ao que falou, Kurogane é um bom manga. Consegue me prender ao ponto de eu me pegar no meio dia pensando “Hm, que legal, ainda tenho Kurogane pra ler quando chegar em casa” mas não me envolve o suficiente para me fazer, no meio de mais uma emocionante aula de álgebra, pensar “Nossa, acaba logo isso, preciso ir correndo pra casa, Kurogane me aguarda!”.

Leia o resto deste post

Recomendação da Semana: Buyuden

“Fight a match without regrets, not for my sake, but for your own sake”

Buyuden é um mangá recente de Takuya Mitsuda (o mesmo do genial Major), com somente 46 capítulos feitos até o momento, e três volumes encadernados já lançados. Como de costume do autor, a obra foi publicada na revista Shonen Sunday, e o tema é de um mangá de esportes. Nesse caso, o boxe.

Eu tenho um carinho especial por esse mangá, e tenho confiança que ele virá a ser um mangá muito bom. O carinho é por ser o primeiro mangá que eu acompanhei desde o cap. 1, e por ser do autor de meu anime favorito.

Take isamu é um aluno exemplar do 6º ano que olha com superioridade para com os outros colegas por ser o melhor em tudo que faz na escola, por sua aparência e sorriso e por sua sorte com garotas juntamente com sua habilidade atlética. Ele se considera, por isso, como um dos melhores do seu grupo de idade e ele fica incrivelmente chateado por interagir com as pessoas que chamava de desafortunadas. Uma estudante novata, chamada Kaname Moka, transferida para sua escola e incrivelmente bonita, deixa acidentalmente voar uma bola para perto de Isamu, então este percebe a beleza de Moka. Isamu a chama para sair.
Moka confunde-se com o que ele diz e pensa que ele a desafia por perceber que ela é uma excenlente boxeadora. De fato, Moka é uma exímia boxeadora e pode até mesmo derrotar 5 rapazes do ensino médio de uma vez. Porém Isamu não consegue aceitar a personalidade violenta de Moka e esta não entende o orgulho de Isamu. Com o passar do tempo, porém, Isamu percebe que Moka não só é mais atlética que ele, por causa dos seus vários anos de boxe, mas, também, possui inteligência superior a dele.
O mangá tem um começo comum de mangás de esportes… Ele começa a praticar boxe pra passar mais tempo com a Moka, e depois, com o tempo, ele acaba se interessando e eles entram em um ginásio, e participam de um torneio.
Vocês me perguntam: O que esse mangá tem de original, de diferente? E eu lhes respondo: Nada, por enquanto.
“ENTÃO PORQUE VOCÊ TÁ ME RECOMENDANDO ISSO???”
Porque é um mangá, que apesar de ter um começo padrão, é bem-feito. E isso importa mais do que a originalidade da história. Os capítulos são bem conduzidos, e fáceis de ler. Sinceramente, é um dos mangás que mais me diverte acompanhar semanalmente, ao contrário de muitos outros mangás, os capítulos de Buyuden são simples, bem feitos, com uma narrativa eficaz… é uma leitura bem agradável.
A série vem evoluindo bastante nos últimos capítulos, com cenas muito boas e acontecimentos, que, apesar de talvez exagerados, estão sendo muito bem trabalhados. O tal torneio foi cheio de bons momentos, e as relações entre personagens,
motivações, estão todas evoluindo, o mangá está começando a prometer algo bom
Quanto a questão das lutas, elas ainda não são de nenhuma epicidade monstruosa (Bem, os personagens tem 12 anos, faz sentido), mas são… divertidas. Não consigo fazer nenhuma grande análise técnica de lutas, mas elas possuem cenas legais e bem desenhadas.
O traço não é nada que você pare pra falar “Meu deus, que foda!!!”, mas é eficaz, e eu gosto do character designs dos personagens. Personagens esses que são bons. Eu gosto do jeito que o autor trata seus personagens crianças. O Isamu que acaba “esquecendo” algumas das características de quando ele foi apresentado, mas é possível entender a mudança. Só causa um pouco de estranheza.
A série parece ter terminado uma fase introdutória (Cap. 46) agora, parecendo que o mangá vai começar de vez o grande desenvolvimento da história.
Buyuden tem falhas, isso é óbvio. Mas é um mangá agradabílissimo de ler, com personagens carismáticos e uma história simples, mas que está evoluindo a cada capítulo, e que é ótimo de ler semanalmente.
Não leia esperando uma obra de arte, mas um mangá shonen de esportes simples e carismático. Vai conseguir te distrair. Eu recomendo.