Arquivos do Blog

Recomendação da Semana : Fuyu no Hana

Fuyu no Hana é um mangá interessante. É difícil falar dele, afinal, é uma one-shot cuja sinopse já entrega toda a história. Ou quase. Este é mais um mangá da artista (Ela tem vários pseudônimos, não sei como chamar) de Watashitachi no Shiawase na Jikan e Hoshi no Koe (Ambos têm textos no blog, aqui e aqui), mas nestas obras ela apenas fez a arte, em Fuyu no Hana a história também ficou a cargo dela.

Os protagonistas são Itadori e Rakka. O mangá começa mostrando-os em sua infância, e também nos apresenta à irmã de Itadori. Ela arruma o cabelo de Rakka que estava bagunçado devido às brincadeiras.

A irmã tinha cheiro de flores, segundo a jovem Rakka, que mal sabia que ela tinha uma espécie de flor. Quando esta flor germinar, o hospedeiro morre.

O mangá conta com time skips e tudo mais. Mais a frente, com os protagonistas mais velhos e a irmã de Itadori já morta, o garoto rouba um beijo de Rakka, dizendo que o inseto hospedeiro deve ficar longe dos outros insetos, e que esta era a última vez em que ele poderia tocá-la. Mais detalhes são explicados ao longo do capítulo.

Fuyu no Hana tem apenas trinta e quatro páginas. Aí está o seu defeito. Se fosse uma série, e tivesse mais de um capítulo, a história poderia ser melhor distribuída e beirar um masterpiece à lá Watashitachi no Shiawase na Jikan. Mesmo assim, é surpreendente que a história consiga se desenvolver de maneira satisfatória e que ainda consiga ser finalizada decentemente.

O tamanho do mangá é o único ponto claramente prejudicial à série, que nem chegou a abusar do drama, como as doses cavalares em Watashitachi no Shiawase na Jikan. Fuyu no Hana provavelmente seria mais dramático e envolvente se fosse maior.

Mas este é um ótimo mangá. A arte nem precisa de tantos comentários, certo? Lindíssima do começo ao fim. As mudanças físicas dos protagonistas com o tempo são visíveis, ainda mais quando a mesma cena se repete em vários momentos. (Leiam para entender)

Uma boa história e um bom desenvolvimento para apenas trinta e quatro páginas. Apesar do pouco espaço para formar uma trama mais intensa com momentos melhores distribuídos por seus capítulos, Fuyu no Hana é muito bom. Recomendado.