Arquivos do Blog

Primeiras Impressões: Danshi Koukousei no Nichijou

Recentemente o blog recebeu visitas graças a pesquisas no Google sobre um anime chamado Danshi Koukousei no Nichijou, que é desta temporada de janeiro. Eu, curioso, decidi dar uma chance a este anime. Gostaria de agradecer às pessoas que pesquisaram sobre ele e chegaram ao blog, sem elas eu não teria visto este anime.

História? Para quê isso? Danshi Koukousei no Nichijou mal tem uma. Tenha em mente que é um shounen slice of life de comédia que mostra a vida de três amigos, Tadakuni, Hidenori e Yoshitaka, e suas “aventuras”, seja na escola ou fora dela. Aliás, o próprio nome da série significa “Cotidiano dos garotos da escola”, ou algo do tipo.

Este anime é baseado num mangá publicado na internet, e surgiu de uma parceria entre Square Enix e a Sunrise, fato que é parodiado no anime. Aliás, o que não é parodiado aqui? Danshi Koukousei é uma aula de como fazer comédia! Algumas cenas farão o espectador rir como se sua vida dependesse disso.

Apenas um episódio foi lançado, mas é difícil não gostar das personagens. Claro, não são do tipo que evoluirão durante a série, afinal, o anime não se importa tanto com a história assim. Se você simpatizou com os três garotos que protagonizam a série, provavelmente vai continuar gostando. Se por algum motivo (obscuro) não gostou, também continuará assim, acredito eu.


Aparentemente os episódios serão divididos por tópicos. É como se houvessem sub-episódios. Por exemplo, o primeiro episódio que teve algumas histórias diferentes sobre as mesmas personagens.

A arte é simples, e a animação também. Não há muito o que ressaltar por aqui, ambas cumprem bem seus papéis. A dublagem tem um destaque. Sugita Tomokazu, conhecido por interpretar o Kyon de Suzumiya Haruhi no Yuutsu e Gintoki de Gintama, faz um trabalho sensacional como Hidenori! É impossível não reparar nisso.

A trilha sonora também é boa. Shiny Tale da razoavelmente conhecida banda Mix Speaker’s, Inc combina muito bem. E a música de encerramento é muito bonita. Segundo o MyAnimeList teremos outro encerramento no segundo episódio.

Se você quer dar boas risadas sem ter que fazer com que o seu cérebro perca 3 quilinhos, Danshi Koukousei no Nichijou é extremamente recomendado! O primeiro episódio foi extremamente engraçado, e a série promete!

Anúncios

Primeiras impressões: Another

Pois é, como eu disse no post sobre Zero no Tsukaima: F, apenas dois animes dessa temporada têm minha audiência confirmada. Another é um deles, e seu primeiro episódio mostra bem o porquê.


Another é um anime baseado na série de livros homônima, escrita pelo marido da autora de Shiki, cujo anime é um dos favoritos do Luki. Em 1972, uma popular aluna da turma 91-3 do colégio Tomoiyama, Misaki, morre. Então os seus companheiros de classe passam a agir como se a jovem ainda estivesse entre eles até a formatura.

Já em 1998, o jovem Sakikabara Kouichi é matriculado nesse colégio, mas teve de começar o ano letivo depois dos outros alunos devido a problemas de saúde. No hospital onde estava internado, alguns alunos de sua turma vão visitá-lo, são eles Sakuragi Yukari, Izumi Akazawa e Kazami.

No elevador do hospital, Kouichi se encontra com uma garota de tapa-olho usando o uniforme do colégio. Quando questionada sobre o que estava fazendo, apenas disse que tinha que entregar algo. O garoto pergunta seu nome, e ela responde. Misaki Mei.

Depois disso, o primeiro dia de Kouichi na escola nova é mostrado. Impressionante é que a série parece ser lenta, mas tudo isso aconteceu em pouco mais de dez minutos. Talvez a maneira de contar a história pareça devagar.

Mesmo que durante o primeiro episódio não tenham ocorrido tantas coisas misteriosas e importantes, é impossível não ficar curioso. Ainda na metade do episódio você se encontrará babando e implorando por mais. Episódio conduzido de maneira excelente.

A série tem um clima misterioso que, embora esperado, surpreende. E a música de abertura combina bem com esse clima. Mais uma música característica do ALI PROJECT, que também teve participações em outros animes famosos, como Code Geass, meu anime favorito. A música de encerramento é muito bonita e agradável.

A arte é belíssima, sem dúvidas, um dos destaques do anime! A animação também faz jus à arte, e também é muito boa. No geral, a parte técnica deste anime é excelente.

Another realmente promete não ser mais um anime dessa temporada (Não foi uma piada) e ser um dos destaques, se não “o destaque”. Os outros episódios devem ser ainda melhores do que esse, devido às explicações sobre a trama e o desenvolvimento dos personagens. Pelo menos é o que eu espero.

Primeiras impressões: Zero no tsukaima F!

Ah, temporada de novos animes, grandes expectativas para algumas séries, decepções e surpresas. É sempre assim. Os únicos animes desta temporada que têm minha audiência confirmada são Another e Zero no Tsukaima F, que será tratado neste texto.

Zero no Tsukaima F é a quarta temporada da franquia. A história vocês já devem saber. Louise é uma estudante de magia do reino de Tristain, e é conhecida como “Zero Louise” por nunca realizar um feitiço corretamente. No dia em que os alunos deveriam participar de rituais de invocação de seres (Que costumam ser animais) ocorre algo inesperado. Quando chega a vez de Louise realizar a invocação, surge um humano em sua frente. Hiraga Saito é um jovem comum, que não tem relação alguma com magia, aliás, sequer sabia da existência de bruxos e feitiços. O garoto é o ser de Louise, que teve de beijá-lo para selar o contrato.

Mas disso vocês já sabem. Em breve irei escrever sobre Zero no Tsukaima como um todo, falando sobre as três temporadas anteriores.

A quarta (E última) temporada da série teve o seu primeiro episódio lançado no dia sete de janeiro. Aguardei ansiosamente por quase três anos, então fui tomado pela emoção em alguns pontos. Ri de cenas sem graça, vibrei com aparições de personagens queridos, e tudo mais.

Ignore a terceira temporada. A quarta começa com Saito, Louise e Siesta dividindo uma cama, e protagonizando um momento de humor, Tabitha aparece depois. Colbert, o professor, anuncia aos alunos uma viagem à Romalia.

Em Romalia os personagens são recepcionados por Giulio, que pede para Saito, Louise e Tiffania o acompanharem. Eles vão a encontro da rainha Henrietta e do Papa. Este último revela que também é um usuário do vácuo e que Giulio é o seu ser. Também é revelado que Tiffania também tem o poder do vácuo, embora não tenha feito o ritual de invocação.

Mais tarde surgem ladrões, que são enfrentados por Saito e Louise. Não posso contar tudo o que acontece no episódio, por isso irei parar por aqui. Digo apenas que o episódio foi bem conduzido, pelo menos para um primeiro episódio, foi. Confesso que quando o anime começou com uma cena de humor, eu ainda estava em estado de euforia, mas estava imaginando que seria uma enrolação sem fim. Por sorte, estava enganado. Provavelmente o resto da série será bem agradável. O meu medo é quanto à adaptação de vários volumes das Light novels em prováveis doze episódios.

A animação e a arte da série são excelentes, parecem diferentes das outras temporadas. Talvez até melhores. A dublagem também continua boa, com os mesmos dubladores de antes. A única voz que não me agradou tanto foi a voz do Papa. Não consegui descobrir o nome do dublador, mas achei que era uma voz muito suave e baixa para alguém com tanto poder e autoridade, por mais sereno que o personagem pareça ser.

A música de abertura segue o mesmo padrão das outras temporadas, ficou a cargo de ICHIKO. No primeiro episódio ainda não fomos apresentados ao encerramento da série. Quanto às músicas de fundo, a única coisa em que reparei foi na belíssima música que toca quando Saito, Louise e Tiffania apresentam-se ao Papa e Henrietta.

O primeiro episódio seguiu o padrão Zero no Tsukaima. Mas não foi tão excepcional. Um bom episódio, e só. Tenho grandes expectativas quanto a essa quarta temporada, espero não me decepcionar.

Primeiras Impressões: Area no Kishi

Olá, aqui estou eu (L./Luki) com as primeiras impressões de um anime dessa nova temporada, o único que eu estava certo de que ia ver. Area no Kishi é um mangá publicado na Shonen Magazine desde 2006, que ganhou uma adaptação em anime pelo estúdio Shin-ei Animation agora em janeiro. É um mangá que gosto, e eu queria conferir se a adaptação em anime ia fazer jus ao original.

Area no Kishi começa mostrando um jogo do Japão sub-15 x Brasil sub-15. A estrela do Japão é Aizawa Suguru, e seu irmão mais novo, Aizawa Kakeru, era um dos espectadores. Todas as esperanças do futebol japonês estão depositadas em Suguru, e ele justifica isso conseguindo fazer o Japão empatar com o todo-poderoso Brasil. A história é contada no ponto de vista de Kakeru. Logo após, vemos o dia a dia no clube de futebol da escola dos irmãos, onde Suguru obviamente é o ídolo, e Kakeru, por escolha própria, é um reles ajudante.

Após um pouco da rotina do clube, e apresentação de alguns outros personagens, uma garota aparece lá e vai falar com Kakeru. De início ele não se lembra dela, mas ela se apresenta como Seven, e era uma amiga de infância dele. Não vou descrever o episódio inteiro, mas é deste ponto que a série parte. Suguru sabe da qualidade de Kakeru e não entende porque ele não quer jogar e se contenta em ser um ajudante. Os motivos de Kakeru vão ser revelados logo no anime.

O ritmo do episódio foi bem satisfatório. Nenhuma cena ficou enrolada demais, e em só uma parte eu achei que ficou muito resumida, e deveria ser melhor mostrada (A do Kakeru treinando). Pouco mais de um capítulo foi coberto nesse episódio. Isso pode parecer pouco, mas o primeiro capítulo tem 90 páginas. Pode não ter acontecido muita coisa na história ainda, mas o anime não ficou maçante em nenhum momento, e isso é um grande ponto positivo.

A única coisa que realmente chegou a me incomodar na direção foi o excesso de gags visuais, mas isso é pessoal, e pode agradar vocês. A história do anime ainda não é muito aprofundada nesse episódio, mas há algumas pistas para os momentos mais sérios que o anime terá logo a seguir. Uma cena  acrescentada foi uma boa escolha, e ela será importante mais tarde. O diretor, Ogura Hirofumi, que tem animes como Gintama e Kekkaishi no currículo, mostrou um bom trabalho, à primeira vista. Mas o momento definitivo pra avaliar a qualidade do anime ainda não chegou.

Os personagens também não foram muito aprofundados nesse episódio, mas já temos o básico de cada um deles, com demostrações de como eles são e da relação entre eles. O anime conseguiu passar a mesma sensação que o mangá, e apesar de algumas coisas terem faltado, foi um bom episódio.

Quanto à parte técnica, a arte ficou boa no geral, idem para a animação. As cenas de futebol ficaram bem feitas, nada demais, mas boa o suficiente. O que me incomodou foi o design do Kakeru e da Seven, que são as personagens principais, o que acaba agravando o problema. Mas nesse caso, é simplesmente uma questão de eu já ter lido o mangá. O Kakeru tem um cara menos “infantil” nele. A dublagem conseguiu passar bem a personalidade dos personagens, com exceção, de novo, do Kakeru. Eu espero que isso melhore um pouco mais pra frente, mas não é nada que vá comprometer o anime.

Há pouco a dizer do anime ainda, o começo é meramente introdutório. Mas já mostrou que tem potencial para fazer um trabalho como o do mangá. Se você gosta de animes de esportes, vale a pena.

Temporada de Animes Janeiro 2012: Análise pré-estreias

Em janeiro, como sempre, temos uma nova temporada de animes chegando. Eu não acompanho uma temporada de animes desde março, e não termino um anime de uma desde Outubro, mas curiosamente, o blog me motivou a escrever sobre uma, e isso coincidiu com uma volta a motivação pra pegar um anime e assistir. Então, nesse post irei falar as impressões iniciais que a lista de animes me deu.

(clique na imagem e depois, aumente para vê-la com o tamanho original)

Antes de tudo, eu não tenho um conhecimento muito grande quanto a estúdios, orçamentos, seiyuus ou diretores, para fazer uma previsão mais acurada de um anime. As opiniões geralmente não envolverão esses fatores.

Segundo essa lista, teremos vinte e quatro animes novos sendo lançados pra TV durante o mês de janeiro. (Sim, tem 28 animes na lista, mas 3 já estrearam e um estreia em fevereiro. Como nenhum me interessa, preferi não comentá-los) A primeira coisa notada por mim foi que há um número de continuações bastante alto. Dessas 24, são sete, mais um re-run de Nichijou e a versão para TV de Black Rock Shooter. Ou seja, teremos 15 animes que são algo de novo em animação. Desses quinze, três são baseados em um mangá 4-koma (de tirinhas em quatro quadros),  4 são baseados em mangás “normais” , um é baseado em um web-mangá, três são baseados em Light Novels (Livros com uma linguagem fácil, geralmente ilustrados com imagens estilo mangá), um é baseado em um livro e três são produções originais.

Quanto as continuações, algumas são provavelmente bem esperadas, como a continuação do aclamado Bakemonogatari, o novo anime do famoso Prince of Tennis e a quarta temporada de Natsume Yuujinchou, que já é um anime bem reconhecido. Outras devem ter agradado um bom numero de pessoas também, como a quarta temporada de Zero no Tsukaima, e a continuação de Amagami SS (Anime que eu, particularmente, não gostei). Dessas, eu vou assistir somente e talvez, Zero no Tsukaima, que eu vi há dois anos e meio…

Das outras obras, poucas me interessaram. Farei alguns pequenos comentários sobre as séries que pretendo ver, em ordem de prioridade.

Area no Kishi

O mangá mais “mainstream” virando anime, Area no Kishi, da Shonen Magazine é um mangá que gosto bastante. Porém, as imagens disponíveis do anime foram…. decepcionantes. O estúdio também não me parece muito bom, mas quem sabe o anime não surpreenda. Esse eu vou conferir obrigatoriamente, mesmo que sem altas expectativas. Mas puramente pela história, ele é muito bom.

Another

Achei a premissa da série bem interessante, e a arte da série parece bem feita. O estúdio é o mesmo que fez Angel Beats, e isso não é ruim. A história é baseada em um livro (Que deu origem a um mangá publicado na Young Ace) feito pelo marido da autora de Shiki (O livro), que deu origem a um de meus animes favoritos. Isso é bem curioso e me deu vontade de ler o mangá/assistir o anime. Não estou 100% certo de que vou conferir, mas me parece um bom anime. Acho que é o único que foi um pouco hypado pelo fandom, veremos se com razão.

Danshi Koukousei no Nichijou

Um anime slice of life da Sunrise por si só já é algo curioso. As informações dadas fazem parecer que é uma boa comédia, e tem como diretor o diretor de Gintama! Há boas chances de sair algo bom. Essa é a última série com chances altas de eu ver.

Ano Natsu no Matteru

AnoHana (Não, não escreverei o nome inteiro aqui) foi um anime que fez bastante sucesso no fandom, e que eu gostei, mas ainda não terminei. Essa obra é do mesmo diretor, e isso já é algo que me interessou. A arte pareceu bonita também. Não sei se vou ver, depende do meu humor, mas tem chances de ser um bom anime.

Brave 10

É o anime de porrada da temporada. Não tenho muito interesse, mas talvez eu veja por curiosidade.

Mouretsu Pirates

Eu não espero nada dessa série, mas não duvido que ela possa ser um anime bem divertido. É difícil que eu veja, mas se os comentários forem positivos…

Essas são as 6 séries que tem alguma chance de serem assistidas por mim, sendo que provavelmente só duas ou três serão de fato. Não há muitas obras que despertam expectativas, e os animes originais, que normalmente são o que eu mais procuro, não me agradaram a primeira vista. Veremos como ela vai se desenrolar.