Arquivos do Blog

Série temática do Mangathering #3 – Promessas do mundo dos mangás. [2/4 – Luki – Yamada-kun to 7-nin no Majo]

E aqui estamos nós, para um post da nova série de posts do Mangathering. Dessa vez vou falar de um mangá de comédia que, apesar de curto (só 8 capítulos traduzidos no momento em que escrevo), me surpreendeu positivamente. E esse mangá é Yamada-kun to 7-nin no Majo.

O mangá começou a ser publicado esse ano mesmo, há poucos meses, na Weekly Shonen Magazine (A revista que publica Air Gear (por pouco tempo), Hajime no Ippo e Fairy Tail, por exemplo). É feito por Yoshikawa Miki, a mesma criadora do mangá que fez um relativo sucesso por aqui, Yankee-kun to Megane-chan. Ainda não teve nenhum volume encadernado para sabermos exatamente a recepção do mangá por lá no Japão, mas ele parece estar tranquilo. Até porque é publicado na Shonen Magazine, que não tem costume de cancelar suas obras.

Eu comecei a ler sem esperar muita coisa, só por ler mesmo, mas acabou que foi uma ótima escolha. Eu nunca tinha lido nada da autora, e resolvi ver como eram as obras dela pela mais recente, pois me gastaria menos tempo. Agora já estou com bastante vontade de ler YanMega.

Leia o resto deste post

Anúncios

Recomendação da Semana: Hoshi no Koe (Voices of a Distant Star)

Serei (ou tentarei ser) um pouco mais direto dessa vez.

Hoshi no Koe é um mangá desenhado por Sahara Mizu (a mesma que fez o elogiadíssimo Watashitachi no Shiwase no Jikan), baseado no OVA original produzido por Makoto Shinkai, e foi publicado na revista Afternoon (Que contém, entre outras coisas, Ah! My Goddess e Vinland Saga), revista seinen da Kodansha. Só possui um volume.

A história se passa em um futuro alternativo, em que a humanidade descobriu a presença de aliens (chamados Tharsians), e envia varias pessoas selecionadas ao espaço para confrontarem esses aliens. Mikaku foi uma das escolhidas e tem que participar da resistência, enquanto deixa pra trás seu planeta, incluindo seu melhor amigo e garoto que ela amava, Noboru.

Apesar de incluirem aliens, elementos de sci-fi e coisas do tipo na história, o foco dela passa longe disso. É uma história de romance entre duas pessoas que foram separadas, e ficam a distâncias cada vez maiores, só tendo mensagens de texto, que demoravam cada vez mais para serem recebidas, pra se comunicar.

O traço da autora é muito bonito, e dá o clima perfeito a história. A narrativa é bem tocante, com algumas cenas que são realmente muito bem-feitas. O enredo flui muito bem nesses poucos capítulos, a preparação pra cena final é muito bem construída. Os dois protagonistas também são muito bem construídos, a vida de cada um e suas angústias são feitas de forma fantástica

Em resumo, é uma história de romance tratada com seriedade e beleza, sem chegar PERTO de ter algum fanservice. Uma leitura rápida, e que é  difícil de se arrepender de ter feito. Se você quiser ler um romance mais sério, mas ainda assim emocionante, leia. O mangá foi publicado pela editora Panini, e em uma ótima qualidade. Recomendação feita.

Razões de uma obra decair com o tempo

Esse é um post que eu quero fazer há muito tempo (vamos ver quanto tempo depois de eu estar escrevendo isso o post será lançado), e que é uma coisa “nova” aqui, que é falar de mangás (ou outras mídias) de um modo mais geral, basicamente. Para começar, (como o título já diz) vou falar de obras de ficção que começaram bem, mas de repente, por algum motivo pioraram.

É bem triste quando começamos a acompanhar alguma coisa, ficamos empolgados com ela, e de repente ela decai. Bastante. Mas quais seriam as razões pra isso? Eu não tenho uma resposta exata, esse post é uma divagação, uma tentativa de encontrar alguns motivos.

A nossa querida revista Shonen Jump (A revista que publica os mangás mais conhecidos aqui no ocidente, como Bleach, Naruto, One Piece, e alguns que serão citados aqui) é responsável, de duas formas opostas, para a queda de um mangá. A revista é muito concorrida, e portanto, das várias obras que estreiam lá, muitas são canceladas com poucos capítulos, ou sem a história estar nem perto de ser concluída. (Entenda mais sobre o funcionamento da Jump AQUI e AQUI)

Obviamente, isso faz a história piorar, ainda mais em casos de mangás que duraram mais tempo, como Psyren, que parece ter tido um final apressado, para poder concluir a história mais ou menos satisfatoriamente. Mas mesmo conseguindo, a última parte da série é bem fraca em comparação ao resto.

Algo parecido costuma acontecer em animes. Muitas adaptações de mangás não tem espaço pra cobrir o mangá inteiro, então tem que inventar um final alternativo, que frequentemente não mantém o nível e é criticado. É o caso do anime de Claymore.

Mas a Jump também é conhecida por fazer o contrário. Se um mangá está fazendo muito sucesso lá, é muito provável que eles vão estender a história até não dar mais. Não dá pra saber exatamente quando é o autor que não quer se livrar da sua série que está lhe dando sustento ou quando é a revista que não deixa ele se livrar, mas a revista tem uma grande cota de mangás que duraram mais do que deveriam, e tiveram partes ruins que fizer. Dragon Ball é um caso famoso, a série foi bastante alongada, e vários não gostam muito da última saga (Não estou entre eles, mas isso não muda o fato). Eyeshield 21 é outro mangá que durou mais do que deveria, e acabou tendo a qualidade da história no geral levada para baixo por uma última saga ruim.

A revista mesmo tem exemplos disso hoje em dia, como Bakuman (e o caso de Bakuman foi bem tosco). A história de Bakuman estava rumando(ou parecendo rumar) em direção a um final, e de repente, eles inventam um jeito de alongar a série… no último ano, pouquissimos arcos e capítulos se salvaram em Bakuman. Triste pra um mangá que já foi um de meus favoritos…

Esse problema de uma obra se estender além do que devia tem seu espelho no mercado de séries americanas, de uma forma até pior que a da Jump. É uma regra quase sem exceções que uma série muito popular vai durar além do que devia, seja por já ter se esgotado (Poderia continuar, mas o autor não consegue mais manter o nível com ela, então seria melhor encerrar), como Two and a Half Men e House, ou ainda pior, porque ela DEVERIA ter terminado, a história já tinha sido concluída, mas preferiram prosseguir, como em Supernatural.

Claro que existem motivos mais simples. Uma série piorou porque o autor perdeu a mão. Simples assim. E somado a necessidade de continuar a série que existe na Jump, o problema é duplicado. Reborn! era uma série legal, um mangá divertido, até que veio o famigerado arco do futuro, criticado por grande parte dos leitores, e que ainda por cima, foi gigante. A série então, continuou com OUTRO arco péssimo, pior até que o anterior, e a verdade é que a série já deveria ter acabado. A saga atual está até divertida, e é a melhor chance pra acabar a série de vez. Seria mais honrado.

Segundo o que dizem (Não posso confirmar), é esse o caso de Bleach, que também teve uma saga elogiadíssima, e depois… foi ladeira abaixo, e enrolando bastante, e muitos afirmam que a série já deveria ter acabado.

Um outro caso (Não estava pensando nele quando comecei o post, me veio a mente agora), mais subjetivo (tudo aqui é subjetivo, uma obra pode ter continuado boa pra você, mas não pra mim) é quando um mangá causa uma primeira impressão muito boa, ou tem um momento muito bom e depois… não continua assim. Nenhuma razão em especial, mas aquele momento em especial pode ter feito as pessoas esperarem mais do mangá. Um possivel exemplo seria Area no Kishi, mangá que tem um grande acontecimento no volume 2, que é feito de forma fantástica, e depois o mangá passa a ser simplesmente um bom mangá de esportes. Como só 10 volumes foram traduzidos, a série pode ter um novo aumento na sua qualidade, mas por enquanto…

Air Gear tem um começo muito bom (Na minha opinião, claro, mas isso não é óbvio?), que faz parecer que a série seria algo muito mais incrível do que é, que termina sendo só… legal.

E pra não falarem que só falei de shonens, Kamen Teacher é um mangá que começou bem legal, mas depois piorou, porque acho que o autor tomou a decisão errada em como continuar o enredo. Ou isso ou eu que esperava algo diferente da série… Gantz é outro mangá que (parece) estar na fase final, e que eu, sinceramente, não estou gostando agora…

E então? Que mangás eu deveria ter citado, que mangás eu NÃO deveria ter citado, que motivos eu não mencionei? Comentem!