Arquivos do Blog

#Mangathering1ANO Review: Ibitsu

ibitsu1

Ibitsu, ah, Ibitsu. Apresento-lhes uma de minhas cartas na manga.

Leia o resto deste post

Anúncios

#Mangathering1ANO Review: Taxi Driver

Olha só quem apareceu! Isso mesmo, o estagiário mais célebre da blogosfera. E dessa vez não apareci apenas para fazer uma apresentação de Série Temática ou promessas de texto. Apareço hoje para apresentar o texto de um filme recém promovido ao panteão de minhas obras prediletas: Taxi Driver.

Leia o resto deste post

#Mangathering1ANO Review: Dorohedoro Vol. 17

Olá, caros leitores do Mangathering! Estou de volta com um novo post para o aniversário de nosso querido blog, e dessa vez vou fazer algo diferente – uma review do Volume 17 de Dorohedoro, que foi lançado no fim de setembro e traduzido um pouco depois. Enfim, vamos lá!

AVISO: Esse post VAI conter spoilers, e é direcionado a quem acompanha a série. Se pretende ler.. continue a seu próprio risco.

doro

Leia o resto deste post

#Mangathering1ANO Review: Ted

ted1

Olá, leitores do Mangathering. Sei que não apareço há muito (muito mesmo) tempo, mas foi só um charminho pra sentirem minha falta. Acaba que todo mundo deve ter esquecido de mim. E aí eu resolvi aparecer por aqui novamente, já que estou presa por 9 horas em um avião. E, também aproveitando isso, vou fazer uma review bem sincera sobre o filme que acabei de assistir na modernosa (surpreendente!) tela de entretenimento da companhia aérea: Ted.

Quando assisti aos trailers do filme, não consegui levar a sério… Parecia idiota demais para ter qualidade. A imagem que eu tinha era de um filme politicamente incorreto que apelava constantemente para sexo, drogas, bebida e piadas contra judeus/negros/orientais/latinos. Em outras palavras, um filme babaca que me arrancaria algumas risadas por conta da estupidez (estilo American Pie). Porém, algumas pessoas que viram o filme no cinema me trouxeram críticas incrivelmente boas – coisas como “é de gargalhar do início ao fim” ou “chorei de rir em vários momentos” – e aí eu comecei a cogitar a possibilidade de assistir ao longa.

Leia o resto deste post

#Mangathering1ano TOP 5 – Mangás Shounen

top5

Ok, eu estou plagiando o Daisuke, mas tudo bem…. né? NÉ?!

Então, se nós temos algum leitor fixo (tenho minhas dúvidas), ele deve ter percebido que eu (Luki) tenho estado meio ausente do blog esses dias (ou meses). Foram meses complicados, provas, etc, mas o que importa é que aqui estou, para um novo post. E que hora melhor pra voltar do que a comemoração de um ano do blog?! Eu sinceramente não imaginava que ainda estaríamos aqui, firmes e fortes. Mas bem, estamos.

E bom, eu queria fazer algo ligeiramente diferente para esse post, não só mais uma review… E a solução que eu cheguei foi fazer algo diferente do padrão do blog, mas repetido (?)! O Daisuke, um pouco mais cedo esse ano, fez seu top5 de mangás shonens, e assim sendo, eu decidi fazer o meu. Eu gosto de fazer TOP5s, são fáceis de escrever   pois assim eu ganho a chance de comentar mais de uma obra ao mesmo tempo, e não anulando a possibilidade de uma review futura.

Então, sem mais delongas, vamos ao top! Cliquem em continuar lendo para descobrir meus 5 mangás shonens favoritos (embora seja meio óbvio)

(PS: Em tops, eu não costumo comentar os defeitos da obra, visto que meu objetivo é mostrar porque ela está em minhas favoritas, não analisá-la a fundo)

Leia o resto deste post

#Mangathering1ANO Review: A Serpente Vermelha, de Hideshi Hino

redsnake2Hoje é aniversário do Mangathering e o blog terá posts de TODOS os membros, além de diversas novidades, como a página de equipe (bonitona, deem uma olhada!) e outras coisas. Esperamos que gostem.

Esperamos, também, que vocês já tenham se acostumado à minha fixação por obras bizarras e coisas do tipo. Pois bem, se não se acostumaram, nem leiam este post. Lembram de quando eu disse que Panorama do Inferno era a coisa mais bizarra que eu já havia lido, em seu próprio post? Bom, eu ainda não tinha lido A Serpente Vermelha (The Red Snake, Akai hebi, etc), também de Hideshi Hino, lançada no Brasil pela Zarabatana Books (é, isso mesmo).

Leia o resto deste post