Arquivos do Blog

Recomendação da Semana: Cross Game

Eu estou meio que forçando um pouco ao recomendar um mangá de 17 volumes na recomendação da semana, mas vamos lá.

Leia o resto deste post

Anúncios

Recomendação da semana: Mahou Gyoushounin Roma

Mahou Gyoushounin Roma é um mangá publicado na Shonen Sunday mensal desde 2009. É dele que falarei na recomendação de hoje.

Por enquanto temos poucos capítulos dessa série disponíveis, tanto em português quanto em inglês, mas mesmo assim é possível ter uma noção de como é o mangá.

Mahou Gyoushounin Roma conta a história de uma bruxa chamada Roma, que junto ao seu parceiro Mino, está à procura de “desejos humanos”. Para isso eles procuram por pessoas que nutrem um grande desejo dentro de si.

Você provavelmente não deve estar entendendo a história. Espero que agora ela fique mais clara. Para poder obter esses desejos, Roma oferece às pessoas artefatos mágicos. À primeira vista tais itens são perfeitos, e atendem aos desejos do usuário sem qualquer problema. É obvio que não é assim. Rapadura é doce, mas não é mole, não.

Os objetos cedidos por Roma e seu parceiro costumam ajudar as pessoas, sim. Mas ao mesmo tempo têm seus defeitos e
limitações, parecidos com efeitos colaterais.

A história é contada de maneira episódica, em cada capítulo somos apresentados a um personagem, o seu desejo e o artefato que lhe será oferecido. Não é da maneira que eu gosto, mas Roma é uma exceção. Muitos já começaram a reclamar após pouco mais de dez capítulos traduzidos, mas isso ainda não me incomodou. Claro, se continuar dessa maneira por muito tempo, sem se focar na protagonista da série, vai cansar.

Infelizmente, Roma e o seu parceiro não têm tanto espaço para o desenvolvimento devido à maneira como a história é contada. Mas eu acredito que logo o autor conte mais sobre a protagonista da série. A arte me agrada bastante, é um pouco genérica, mas é bonita.

Recomendo este mangá porque sua leitura é agradável e rápida. Mahou Gyoushounin Roma diverte o leitor mostrando vários objetos mágicos e situações diferentes. Aguardo mais capítulos.

Recomendação da Semana: Buyuden

“Fight a match without regrets, not for my sake, but for your own sake”

Buyuden é um mangá recente de Takuya Mitsuda (o mesmo do genial Major), com somente 46 capítulos feitos até o momento, e três volumes encadernados já lançados. Como de costume do autor, a obra foi publicada na revista Shonen Sunday, e o tema é de um mangá de esportes. Nesse caso, o boxe.

Eu tenho um carinho especial por esse mangá, e tenho confiança que ele virá a ser um mangá muito bom. O carinho é por ser o primeiro mangá que eu acompanhei desde o cap. 1, e por ser do autor de meu anime favorito.

Take isamu é um aluno exemplar do 6º ano que olha com superioridade para com os outros colegas por ser o melhor em tudo que faz na escola, por sua aparência e sorriso e por sua sorte com garotas juntamente com sua habilidade atlética. Ele se considera, por isso, como um dos melhores do seu grupo de idade e ele fica incrivelmente chateado por interagir com as pessoas que chamava de desafortunadas. Uma estudante novata, chamada Kaname Moka, transferida para sua escola e incrivelmente bonita, deixa acidentalmente voar uma bola para perto de Isamu, então este percebe a beleza de Moka. Isamu a chama para sair.
Moka confunde-se com o que ele diz e pensa que ele a desafia por perceber que ela é uma excenlente boxeadora. De fato, Moka é uma exímia boxeadora e pode até mesmo derrotar 5 rapazes do ensino médio de uma vez. Porém Isamu não consegue aceitar a personalidade violenta de Moka e esta não entende o orgulho de Isamu. Com o passar do tempo, porém, Isamu percebe que Moka não só é mais atlética que ele, por causa dos seus vários anos de boxe, mas, também, possui inteligência superior a dele.
O mangá tem um começo comum de mangás de esportes… Ele começa a praticar boxe pra passar mais tempo com a Moka, e depois, com o tempo, ele acaba se interessando e eles entram em um ginásio, e participam de um torneio.
Vocês me perguntam: O que esse mangá tem de original, de diferente? E eu lhes respondo: Nada, por enquanto.
“ENTÃO PORQUE VOCÊ TÁ ME RECOMENDANDO ISSO???”
Porque é um mangá, que apesar de ter um começo padrão, é bem-feito. E isso importa mais do que a originalidade da história. Os capítulos são bem conduzidos, e fáceis de ler. Sinceramente, é um dos mangás que mais me diverte acompanhar semanalmente, ao contrário de muitos outros mangás, os capítulos de Buyuden são simples, bem feitos, com uma narrativa eficaz… é uma leitura bem agradável.
A série vem evoluindo bastante nos últimos capítulos, com cenas muito boas e acontecimentos, que, apesar de talvez exagerados, estão sendo muito bem trabalhados. O tal torneio foi cheio de bons momentos, e as relações entre personagens,
motivações, estão todas evoluindo, o mangá está começando a prometer algo bom
Quanto a questão das lutas, elas ainda não são de nenhuma epicidade monstruosa (Bem, os personagens tem 12 anos, faz sentido), mas são… divertidas. Não consigo fazer nenhuma grande análise técnica de lutas, mas elas possuem cenas legais e bem desenhadas.
O traço não é nada que você pare pra falar “Meu deus, que foda!!!”, mas é eficaz, e eu gosto do character designs dos personagens. Personagens esses que são bons. Eu gosto do jeito que o autor trata seus personagens crianças. O Isamu que acaba “esquecendo” algumas das características de quando ele foi apresentado, mas é possível entender a mudança. Só causa um pouco de estranheza.
A série parece ter terminado uma fase introdutória (Cap. 46) agora, parecendo que o mangá vai começar de vez o grande desenvolvimento da história.
Buyuden tem falhas, isso é óbvio. Mas é um mangá agradabílissimo de ler, com personagens carismáticos e uma história simples, mas que está evoluindo a cada capítulo, e que é ótimo de ler semanalmente.
Não leia esperando uma obra de arte, mas um mangá shonen de esportes simples e carismático. Vai conseguir te distrair. Eu recomendo.