Review: Skyfall

Sometimes the old ways are the best.

Faala gente. Schin aqui. Hoje vou dar uma fugida do mundo otaku para falar de um filme que eu tenho esperado ansiosamente- Skyfall, da franquia James Bond.

Eu fui introduzido ao lendário 007 quando criança, pelo também lendário jogo GoldenEye, de Nintendo 64. Desde então, eu tenho um certo fascínio pela série, que só foi aumentando quando vi alguns de seus filmes. E com o tempo, eu estabeleci dois objetivos: ver todos os 20 (até então) filmes, e a tempo de ver no cinema o filme seguinte. No dia 26, estréia do 23º filme, posso dizer que cumpri ambos- mesmo se um pouco atrasado.

Mas enfim, vou falar sobre o que importa.. Só uma coisa: não tem como falar de Skyfall como um filme por si só. Ele deve ser considerado como parte de uma série. Para quem não liga para isso e quer saber sobre o filme em si, bem, provavelmente muito da review não vai interessar, porque eu devo me empolgar um pouco, hehe.

Como na maioria dos filmes da série, a história de Skyfall é independente; nenhum outro filme precisa ser visto para entendê-lo. A trama abre com Bond perseguindo um homem que roubou um arquivo que contém a identidade de todos os agentes secretos infiltrados em organizações terroristas, incluindo os da MI6. Essa lista, porém, é perdida – comprometendo não só os agentes em questão, mas o serviço britânico inteiro.

O espectador casual provavelmente vai achar Skyfall um bom filme, mas nada especial. Talvez goste muito e resolva ver alguns outros. Mas eu acho que quem realmente vai aproveitar mais o filme são os fãs que conhecem a série, pois são esses fãs que vão ver o verdadeiro potencial do filme. Pelo que eu falei no parágrafo anterior, a história parece que vai ser igual à de metade de outros filmes do agente: lugares exóticos, muitas mulheres, dispositivos tecnológicos, um traficante paranóico/líder de uma corporação global querendo dominação do mundo. Mas, felizmente, fica só em parecer mesmo.

Essa é a genialidade de Skyfall. O excelente Casino Royale reinventou o personagem e jogou a série de volta a suas raízes. Skyfall faz mais do que isso – reinventa a série. Não é a toa que o filme tem sido comparado ao “The Dark Knight” de Christopher Nolan, filme em que o diretor Sam Mendes se inspirou. A trama, os personagens, o espetacular vilão – tudo leva o filme a ser um dos melhores (e possivelmente o melhor) filmes da franquia, pois tudo isso traz um ar fresco a ela. Dessa vez, a ação é apenas um pretexto para desenvolver a história, e a relação entre os personagens – e não o contrário, como foi durante muito tempo (o que não quer dizer que as cenas de ação são ruins, pelo contrário). E ao mesmo tempo em que faz tudo isso, Skyfall é, de várias maneiras, uma homenagem aos filmes clássicos da era de ouro do agente, tanto em referências explícitas (uma em particular sendo completamente genial) quanto de formas mais sutis, como Bond embarcando para a missão apenas com sua Walther PPK especializada, como em Dr. No. Sim, o filme inova a franquia, mas nunca esquece o que ele realmente é, no fundo de tudo.

Se alguém ainda consegue ter dúvidas quanto à competência de Daniel Craig no papel, acho mais fácil largar da série até o próximo ator. Se ele já era incrível, agora já está incorporado ao seu personagem. Pra mim, Craig está no patamar do próprio Sean Connery, superando Brosnan e todos os outros antes dele. Ele traz uma seriedade ao personagem que acho que fez muita falta em seus antecessores – claro, esse Bond ainda toma drinques, fica com mulheres e joga frases de efeito com um duplo sentido, mas quando a missão fica séria, o cara vira uma máquina fria de assassinato, e ai de quem entrar na frente dele.

E é aí que entra outro dos pontos fortes de Skyfall. Vamos ser sinceros – nos últimos 2 filmes, o único personagem que realmente importa é Bond. Os vilões são unidimensionais, e os aliados também não têm muita personalidade. Só a Vesper de Casino Royale se salva. Bom, dessa vez, é completamente diferente, pois temos um triângulo muito interessante. Primeiro, o vilão: Raoul Silva. Javier Bardem faz uma atuação sensacional. Silva é, sem dúvidas, um dos melhores vilões a aparecer na série em muito tempo. Desde sua entrada, dá pra ver que esse cara vai ser marcante – e seus maneirismos, suas habilidades, sua história, seu plano – tudo leva a presunção a ser correta. Silva é claramente alguém que está no mesmo nível de Bond, e depois de incontáveis antagonistas que só estavam no filme pra existir algum plano a ser impedido, esse é o cara que a série precisava.

Mas vejam bem, eu falei em um triângulo, então quem é a pessoa que está faltando? A terceira figura crucial da trama é, na verdade, um personagem tão velho na série quanto o próprio 007: M, que pela primeira vez, é colocado como um ser humano. Vejamos bem, claro que M sempre foi importante, afinal é o chefe da MI6. Mas qual o seu papel nos filmes? M dá a Bond sua missão, e ocasionalmente o ajuda com informações ou recursos. Mas quem ele(a) é, realmente? M sempre foi um cargo, e não uma pessoa. Até agora. No centro da trama de Skyfall, está M e sua relação com Bond. Quem é, para 007, sua chefe? Qual sua importância em sua vida? E vice-versa? E como Silva entra na equação? Essas são perguntas que eu não posso responder, mas são questões inovadoras pra franquia, e muitíssimo bem exploradas.

Bom, já falei demais, então vou concluir logo. Skyfall é um filme que vai agradar a todos, e é sem dúvidas um dos melhores da franquia, tendo uma história interessante, um vilão incrível, diálogos inteligentes e muitas cenas memoráveis. Acho que, no futuro, esse é o filme que será visto como o definitivo de Craig, o filme em que ele realmente encontrou seu personagem. Agora é torcer que daqui pra frente só melhore. Enfim, até mais!

Anúncios

Publicado em outubro 28, 2012, em Posts não-Otakus, reviews e marcado como , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. 5 Comentários.

  1. perdinhoamamangás

    auheuheuhe o jogo GoldenEye é mto foda!

  2. Muito bom esse filme, ótimo review!

  3. mto bom review abraco dum fan de vcs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: